SOBRE O ESPÍRITO SANTO

Em nossa sociedade pode acontecer de um casal dar nome ao seu filho sem ao menos saber o significado, simplesmente por que foi indicado por um parente ou amigo e, até mesmo pelo fato de que achou  o nome bonito. Como exemplo, pode dar o nome de Miguel sem saber que significa (Quem é como Deus?), Horton (2021).

A questão é que um nome diz muito sobre a pessoa, sobre quem somos. Lembro-me que no lugarejo onde cresci,  o nome do meu pai, a pessoa que meu pai era, abria portas para que pudéssemos comprar na venda, anotar e pagar depois, nos depósitos de construção, nas lojas de roupas, éramos conhecidos como os filhos do Sr. João. Podíamos comprar em seu nome, pois era certeiro que posteriormente meu pai passaria lá e pagaria. 

Com o Espírito Santo não é diferente. Apesar de muitas evidências de sua presença em meio ao povo de Israel, no velho testamento, a sua clara e revelada manifestação, não está no batismo de Jesus, mas se observarmos bem o anjo dirá a Maria que  o Espírito Santo virá sobre ela, e o poder do Altíssimo  a cobrirá com a sua sombra. (Lc 1.35). Uma vez a palavra de Deus empenhada é a própria palavra cumprida. A presença está na Gestação. Para conhecer o Espírito Santo, é necessário saber acerca da sua natureza, afinal, Ele é a essência da vida.  Entendê-lo determina o tipo de relacionamento que deve haver entre o cristão e Jesus, entre o cristão e Deus.

 Ao longo da bíblia seu nome adquire várias terminologias, títulos e  símbolos como:

  • Espírito de Deus (Rm 8:9), Espírito de Cristo (Rm 8:9), Espírito do Senhor 2Cor 3:17), Consolador, Conselheiro (Jo 14:16), Espírito Santo (ICo 6:19).
  • Entre os títulos encontrados estão, Espírito da verdade (Jo 14:17; 15:26; 16:13), Espírito de Santidade (Rm 1:14), Espírito de vida (Rm 8:2) e outros.
  • Quanto aos símbolos, estão ligados às várias operações do Espírito, sendo Ele intangível, invisível e imaterial, assim é possível entender suas ações. Ainda encontramos: fôlego de vida (Ez 37:5); fogo que purifica (Mt 3:11,12; Lc 3: 16), água viva (Jo 7:37-39) e, identificado como pomba (Lc 3:22; Jo 1:32).

O Espírito Santo é um ser pessoal  evidenciado em suas propriedades, dotado de inteligência, consciência própria, autodeterminação, consciência moral; desse modo, não se trata de uma mera energia ou poder impessoal. O Espírito Santo age como uma pessoa, fala, ensina, convence, intercede, guia os que creem, constitui e dá testemunho de Jesus. Ele é o “Parácleto”, que significa ajudante, advogado, consolador, conselheiro, (João 14.16). Estas são funções próprias de uma pessoa, e, nesse sentido, o Espírito Santo pode ser entendido como tal.

O Reinado do Espírito Santo

O Espírito Santo já manifestava no meio do povo de Israel. No novo testamento, a redenção não é o único ponto de atuação, uma vez que no agir da Trindade, se observarmos, na criação está manifesto todas as características do Deus trinitário. Recordando o Gênesis, destacando 1.26, existe um agir do Pai por meio do Filho e do Espírito Santo; também, um agir do filho em obediência consubstancial ao Pai, assim como é possível perceber a glorificação de ambos na consumação da criação por meio do Espírito Santo. “O Espírito Santo já opera no ato da criação como “hálito poderoso de Deus”, afirma (Pannenberg, 2009), origem de todo movimento e de toda a vida, e é somente diante do pano de fundo de sua atividade como criador de toda vida que se pode entender corretamente sua atuação no extasiar da vida humana” […] (Pannenberg, 2009). 

No velho testamento, o Espírito Santo de Deus aparece atuando em quatro áreas principais:

  • Ele estava gerando as coisas e estabelecendo a ordem no caos de uma terra sem forma e vazia (Gn. 1.2).
  • Na história de Israel, conferindo poderes especiais a certas pessoas para que realizassem obras pontuais (Ex 31.2-5).
  • Na revelação, quando dava aos profetas o conhecimento da vontade e dos desígnios de Deus, bem como o poder para comunicar a mensagem divina. A verdadeira profecia resultava da ação do Espírito Santo de Deus sobre os profetas (Nm 11.25; Ez 2.2; 8.3; 11.1, 24).
  • E por fim, é possível verificar a ação do Espírito Santo no caráter de pessoas. Atua sobre a vida moral e espiritual, instruindo e mudando o modo de viver (Sl 143.10). Embora existam aqueles que resistiram e resistem ao Espírito Santo. 

No novo testamento, nos evangelhos, o Espírito Santo atuou de forma especial na vida de Jesus. Ele gerou Jesus (Lc 1.35); desceu sobre ele no batismo; o guiou ao deserto para ser tentado, capacitou, ensinou, e realizou boas obras , etc. Inúmeras são as visíveis ações do Espírito Santo já no novo testamento. Tendo sido cumprida a profecia da unção do Espírito Santo sobre Jesus Cristo, ele mesmo deu cumprimento à segunda promessa – derramamento do Espírito, inaugurando assim a terceira etapa (Severa, 2019).

Na consumação escatológica o Espírito Santo está ativo como o poder que capacita as criaturas a participar na glória de Deus e as transforma , enquanto o Filho como portador do juízo final é o critério do pertencimento a Deus e seu reino, ou também da incompatibilidade com ele. Na concretização do evento da reconciliação e da mediação histórica de seus efeitos de salvação, a encarnação do filho precede – ou seja, sua atuação terrena, morte e ressurreição precedem – a comunicação do Espírito Santo aos fiéis. É somente nesse contexto que se fala de um “envio”, pelo filho, do Espírito que em eternidade emana do Pai (Jo 15.26s; 16.7). 

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s